MEU FUSCA

MEU FUSCA

 

 

Ela e eu nas aventuras de dez mil

milhas,

retas que se perdem no infinito fusco, fasca, amarelo do

oceano.

É verão, calor no

 

coração.

Eu e ela vedados no fusca na loucura a (cento) e oitenta

quilômetros por

 hora.

Sabemos que a violência não justifica a

razão.

Mas se houver explosão há de nos perdoar,

são impulsos da emoção.

Se morremos, morreremos felizes.

TONINHO ARIBATI

Deixe uma resposta