Protelo – Toninho Aribati

Protelo – Toninho Aribati

Quero ter os olhos de tudo ver,
ver tudo que quero ter,
embora não sinta enfaticamente de forma
tácita,
malvada que sinto-me em gravidade desprezível
de tanta sofreguidão ultrajante de devaneios
insólitos e pensamentos de clara
vicissitude…

Francisco Moura

Deixe uma resposta