Menina Mulher – Toninho Aribati

Menina Mulher – Toninho Aribati

Sou uma menina
que brinca de pula – pula;
ciranda e bambolê;
faço trança em minha boneca;
desenho no meu subconsciente
a vida que me dou, por completa.

Quando na generosidade me vejo mãe,
na doce palavra de quem tem o ventre e gera vida,
na fonte de sua beleza ainda ser filha, só assim!
O que faz feliz?
– ter a chave para abrir a porta,
se houver porta para entrar e sair,
quando há saída,
não estar presa contra a minha própria vontade.
Sinto-me mulher e não objetos de textura.
Quero pensar, quero sentir o que me faz feliz:
o trabalho, a rotina, cheiro do homem que amo
na confiança de dormir em teus braços.

Quando for dia, deslumbrar no passeio a beira mar.
Na orla de toda essa praia, olhar de quem vê o horizonte,
que se banha no azul que arranha o céu.
Paraíso, praia, mansidão de horizonte,
águas rasas, areia alva,
o espelho que reflete em ondas.

Sinto as mãos de quem me segura,
nesse latente sol de verão
e meus sonhos de fada
com o meu presente amor.

Toninho Aribati

Deixe uma resposta